27 Novembro, 2019

Comprar um franchising em atividade?

Grupo NBrand - Media - Comprar um franchising em atividade?

Ser proprietário de um franchising de sucesso poderá ser tudo aquilo que um empreendedor sempre desejou: a possibilidade de auferir um rendimento que só será limitado pelo seu desempenho, compensações com base nos resultados, independência na tomada de decisões, um vasto leque de atividades a coordenar, controlo do seu futuro e segurança, opções em termos de benefícios fiscais, gestão e liderança do seu próprio negócio e oportunidade de trabalhar naquilo que gosta.

No entanto, como em qualquer negócio próprio, existem riscos inerentes que deverá considerar. As razões que levam ao fracasso de algumas franquias são entre outras: a falta de planeamento estratégico, plano de negócios, orçamentação ou controlo interno, falta de investimento e apoio do franchisador, deficiente estratégia de marketing, produtos ou serviços inadequados, má localização, entre outros.

O índice de fracasso das empresas criadas em geral (em franchising ou não) indica uma percentagem mais elevada durante os primeiros três anos de vida.

Logo, quando se coloca a hipótese de comprar um franchising em atividade, em princípio, o empreendedor terá menor risco em relação à abertura de um negócio de raiz.

No entanto, enquanto potencial comprador de uma unidade franchisada em funcionamento, poderá questionar: porque razão são vendidos unidade de franchising com sucesso no mercado? Isto acontece porque muitas vezes, o proprietário pretende aposentar-se ou sente-se cansado, existem questões de saúde, existem disputas entre os sócios, verifica-se a possibilidade de o proprietário ter familiares próximos que tencionam mudar de residência; o franqueado não deseja modernizar o seu próprio negócio ou tem outra atividade e não consegue acompanhar o negócio.

Se pretende adquirir uma unidade franchisada já em funcionamento, saiba quais os passos necessários:

CONFIDENCIALIDADE:

É necessário que os novos empreendedores encararem a confidencialidade com toda a seriedade. Os potenciais compradores não devem falar com o pessoal, clientes, fornecedores, ou concorrência sem que obtenham de antemão a autorização do franqueado anterior e do master franqueado. Por outro lado, não deverá divulgar que o negócio em questão está à venda. Manter o sigilo também é um aspeto vantajoso para o franqueado vendedor, uma vez que uma transação sem percalços é vantajosa para o negócio.

COMO FINANCIAR A AQUISIÇÃO DE UM FRANCHISING EM ACTIVIDADE?

Existem várias fontes de financiamento a que o empreendedor poderá recorrer, tais como os bancos comerciais, as empresas de leasing, familiares, amigos e sócios ou o franqueado vendedor. Em alguns casos, estas fontes de financiamento poderão não ser suficientes para a aquisição de um negócio próprio. A liquidez por parte do comprador é sempre um elemento fundamental.

Em regra geral, entre 30 a 60 por cento do preço de aquisição, provem dos fundos do próprio empreendedor. Os bancos, normalmente, não estão dispostos a financiar a compra, caso o empenhamento do comprador não seja genuíno e não tenha uma percentagem razoável de capital próprio.

Outra das formas de financiar a aquisição de um negócio próprio são as condições de pagamento a prazo conseguidas junto do franqueado vendedor. Poderá, assim, negociar uma percentagem do pagamento em prestações e ao longo do tempo.

AS COMPONENTES DE UMA PROPOSTA DE COMPRA SÃO:

Uma proposta de compra por escrito deve especificar o preço e as condições de pagamento: – pagamento devido no acto da transacção; – assunção de dívidas (caso haja lugar a tal); – termos de financiamento do vendedor (condições, juros de amortização, garantias); – declaração de autorização do master franqueado.

A proposta de aquisição por escrito, por via de regra, deve estar em conformidade com determinadas contingências, que devem ser satisfeitas antes da transferência final de titularidade: a “due diligence”, ou seja, a confirmação dos aspetos financeiros, livros e demais registos de contabilidade.

A ESCRITURA PÚBLICA:

Tanto o franqueado vendedor como o comprador devem submeter toda a documentação à apreciação dos respetivos advogados. Para a efetivação de uma transferência de titularidade é necessário recorrer aos serviços de um cartório para a celebração da escritura. Os cartórios são especialistas na prática de transferência de negócios e são entidades inteiramente neutras. A sua missão é a celebração da escritura, preparação e confirmação dos documentos que traduzem os interesses das partes, assim como a sua identidade.

Como o negócio perfeito não existe, o comprador não deverá estar à espera de vir a encontrá-lo. Caso esteja interessado numa determinada empresa franchisada, depois de analisar todas as informações do negócio, deverá marcar uma visita às instalações.

Encontrando o franchising que lhe agrade, apresentará uma proposta, não esperando demasiado tempo, pois correrá o risco de vir a perder essa oportunidade. Deverá consultar o seu consultor e esclarecer todas as dúvidas que possa ter. Por outro lado, o comprador ao imaginar-se no lugar de proprietário do negócio em questão irá responder à questão: o que faria para o melhorar?


Partilhar:


Entre em contacto